Quando encontramos tudo sem procurarmos nada

terça-feira, fevereiro 27, 2018 0 Comments A+ a-


É assustador o quanto a nossa felicidade depende essencialmente de outras pessoas e acreditar que seremos tão ou mais felizes do que fomos começa a ser uma incerteza. 

Por vezes acaba-se a paciência, a boa vontade, a atenção, o amor. Deixamos de ser a prioridade e passamos a ser uma opção. Por um certo período de tempo deixei de acreditar no "para sempre", saí da bolha cor-de-rosa aos trambolhões e devo confessar que até os filmes baseados nos romances do Nicholas Sparks deixaram de me encantar. Cliché não? Não foi o fim do mundo embora eu tenha imaginado que fosse mais coisa menos coisa. Caí no erro de criar expectativas vezes sem conta, contentei-me com as esmolas alheias, fui pouco para quem gostaria de ter sido muito, ou tudo. 

*
O melhor que podemos dar a alguém é a nossa transparência, somar alegrias, dividir tristezas. Aceitar o passado, incentivar um futuro, mas acima de tudo estar presente. 

Desconfio que disfarço bem mal o meu lado apaixonado e sonhador, que tenho um coração de manteiga, mas, modéstia à parte, sou uma miúda do caraças, e ter alguém do meu lado para me lembrar disso todos os dias não é tarefa fácil. Encontrei-te sem esperar nada em troca, e, quando dei por mim já estava perdida de amores. Mereces alguém tão puro e genuíno quanto tu e é por isso que te devo todo o meu respeito, dedicação, carinho, atenção, espero que tenhas isso em conta, sempre. 

O ser humano precisa, inevitavelmente, de alguém com quem partilhar a vida, o dia-a-dia, o almoço, a cama, e, embora metade desse processo já esteja concluído, o melhor está por vir, se assim o quiseres. E nesse caso até caso contigo. 

Já te disse que te amo hoje?

A ti Pedro