Foco, força e fé



Cheguei a um ponto da vida que percebi que sou movida a amor, nas mais variadas formas. Talvez muitos o sejam mas convenhamos que todos temos diferentes e estranhas formas de amar. Sejam elas pessoas, coisas ou momentos, é o que nos dá ânimo para continuar, querer mais e melhor. De nada vale dizer para arriscar fora da nossa zona de conforto se na verdade não nos mentalizamos disso. Na verdade nem sempre a vida nos sorri, nem sempre o dia começa ensolarado e nem sempre nos apetece "vestir a nossa pele". A vida sabe a pouco quando nos estagnamos, quando damos importância a pessoas pequeninas (não falando de tamanho ok?), quando deixamos de fazer o que quer que seja com amor.
Em algum sítio temos de estar, 24h por dia, 7 dias por semana, até se acabarem os cartuchos. Que tal fazer o que o coração nos diz? Que tal ter a coragem e a ousadia de bater o pé e dizer "eu quero!", e fazer por isso? Afinal de contas cobrar dos outros nunca será a solução, cada um tem o que cativa de nós mesmos. Só temos uma vida, mas se a vivermos da maneira certa, uma vida é mais que suficiente.

Mais do que flores e chocolates



Olá a todos e bem vindos a mais um post!
Ontem, dia 8 de Março celebrou-se o dia internacional da mulher. Não que precisemos de um dia especial para jantares de grupo ou para receber presentes. Com o passar dos anos as mulheres lutaram por direitos iguais aos homens, por reconhecimento e melhores condições de vida. Foi apenas no ano de 1974 que todos os cidadãos passaram a ter igualdade perante a lei, porém, ainda hoje nem sempre se aplica. Muitas mulheres são consideradas mais fracas, incapazes de exercer determinados cargos e, por mais de cem anos a luta pareceu não ter fim. Somos uma maioria esmagadora que não quer esmagar nem combater ninguém. Queremos direitos iguais, salários iguais, queremos o fim dos estereótipos e dos padrões de beleza, queremos acima de tudo o fim à violência e ao assédio. A mulher, que acumula funções domésticas, maternas e profissionais continua na luta em busca de reconhecimento e igualdade e ainda assim considerada o sexo frágil.
Juntas somos mais, somos melhores! Resilientes, determinadas, lutadoras e quiçá ainda inventem um adjetivo para caracterizar a nossa garra!


Objetivos para 2019


Olá a todos e bem vindos a um novo post! 

Pela primeira vez o mês de Janeiro passou a correr, antes mesmo de ter tido tempo para parar e pensar no que quero realmente alcançar este ano. Julgo que se fomos trazidos ao mundo, que foi por uma razão, e para sermos felizes, perseguindo tudo aquilo que nos realiza, e foi por isso mesmo que decidi trazer este assunto à tona. 

Ler mais. Um aspeto que quero melhorar porque além da escrita, também a leitura sempre foi uma das minhas grandes paixões. Com o terminar dos anos escolares, descorei um pouco neste hobby, mas concerteza será retomado.

Beber mais água. Ok, admito nunca fui pessoa de puxar da garrafa de água da mala, até porque nunca ando com uma (guilty!), porém com a idade o corpo ressente-se e pede mais atenção em certos aspetos. No último ano consegui ingerir mais água mas ainda há muito para melhorar.

Ser mais paciente. Não me considero uma pessoa impaciente no que toca a esperar por uma consulta, pelo carteiro ou na fila do supermercado mas sim no facto de querer fazer hoje o que está agendado para daqui a dois meses, ou querer remediar situações futuras para o imediato, mesmo não sendo da maneira que planeei. Tudo leva tempo a concretizar afinal de contas.

Trabalhar menos. Já lá vão cinco anos desde que entrei no mundo do trabalho, e por muitos elogios e reconhecimentos que tive a este nivel acho que este ano vou reduzir um pouco a minha carga horária para me dedicar um pouco a mim e aos meus interesses.

Tirar um curso profissional de maquilhagem. A minha paixão e interesse nesta área levou-me a ponderar este ponto sobretudo depois de chegar à Irlanda e constatar que é um aspeto muito valorizado e requisitado. Falo de cursos completos, educativos a nível teórico e prático e concluir com a sensação de conforto e descoberta a nível de beleza e maquilhagem. Tenho visto pessoas certificadas profissionalmente com 16h de aprendizagem e pergunto-me, que aprendem em dois dias? Sem dúvida um campo a investir e quem sabe recolher frutos.




Praticar mais exercício físico. Meses após nos termos inscrevido no ginásio e termos a pedalada, eu e o Pedro resolvemos cancelar a nossa subscrição, e hoje percebemos que foi um erro levado pelo desgaste físico do trabalho, mas sendo sincera, o ginásio deixa uma sensação de energia e boa disposição que iremos reaver este ano!

Tirar férias na praia. Sou uma amante incondicional de praia, sol, gelados, bolas de berlim, vólei de praia, tudo a que se tem direito. Este ano eu e a minha metade da laranja temos que passar uns dias de papo para o ar, sem preocupações, sem horários para cumprir, sem dietas que nos proibam uma mariscada e sem data para voltar. (a última parte será complicada de se conseguir). Entre Algarve e Ilhas espanholas veremos quem ganha o nosso veredito.





Mais tempo em família e amigos. Uma vez fora do meu país, quero aumentar os tempos de lazer, de convívio e juntar mais quem eu gosto, e aproveitar momentos e criar memórias sempre que estiver de regresso.


Os meus maiores objetivos são estes e espero que de certa forma, se inspirem para criarem os vossos. Para o ano, vou conferir se realizei tudo aquilo que queria, e vocês serão meus testemunhas!
Beijinhos e até breve!



 O limite somos nós, sempre!







Vamos fazer o que ainda não foi feito


Olá a todos e bem-vindos ao meu blog, e bem-vindos, também, a 2019!
Este post vem recheado de boas energias e com a inspiração do Pedro Abrunhosa uma vez mais. Espero que ele não se importe!
Decidi, em semelhança ao ano passado, fazer um pequeno balanço do ano que já lá vai. 2018 foi um ano de mudança, de surpresas, de amor e muito trabalho. O mundo dá muitas voltas e dentro da nossa rotina surgem sempre acontecimentos que fazem da nossa vida um pouco menos monótona. Hoje, estando fora de Portugal numa realidade diferente, valorizo ainda mais os pequenos momentos e prazeres que se difundem em lembranças. Hoje mantenho a minha espontaneidade, busco por mais e melhor, sem olhar para trás, porque afinal a vida anda é para a frente, e a passos largos. Não há tempo para vacilar, mas sim para arriscar e acreditar. Se tiver que escolher um lema para a minha vida sem dúvida será que todos somos livres, temos "asas para voar" e estar onde quisermos, com quem quisermos, e fazer de nós mesmos pessoas realizadas, felizes, completas. No momento em que sentirmos que somos aquele alguém que se quer por perto, missão cumprida! A vida é dar e receber, sem olhar a quem.
Sejam felizes, o ano todo. Que independentemente do pé com que receberam o novo ano, façam valer a pena, persigam os vossos sonhos, não desistam e acreditem em vocês mesmos.
Beijinhos e até breve!

Não tenhas pressa, mas não percas tempo


Dezembro de 2018

Não acredito que aqui tenha chegado tão rápido. Chega-se ao décimo segundo mês do ano e pensamos "passou tão rápido", e não é que passou mesmo? Refletimos acerca das promessas de ano novo que ficaram para o seguinte e fazemos um throwback àquilo que fez do nosso ano, um ano inesquecível. Além de coisas boas, coisas más sucederam, coisas essas que nos fizeram mais fortes; quando pensámos não aguentar mais, quando pensámos na pouca sorte que tínhamos, e quando pensámos que tudo nos faltava. A verdade é que o mundo dá muitas voltas, e isso afeta-nos, querendo ou não.

Quando me lembro da minha idade pergunto-me se dormi tempo demais ou se realmente o tempo voa. Sempre ouvi dizer pelos mais velhos e está na altura de acreditar, porque há coisas que com o tempo começam a fazer sentido e a ecoar nas nossas cabeças. Insisto em querer o passado de volta, a querer reviver momentos, a querer pessoas de volta, não sei se por medo do futuro ou se estou a ficar demente. Convenço-me que não aproveitei os tempos de mocidade como muitos outros, que não adquiri a quantidade de amizades que gostaria e que não cuidei de quem merecia, e acima de tudo convenço-me que limitei-me a passar o tempo rápido porque queria ser adulta, e hoje arrependo-me.

A minha vida sempre me pregou partidas, maioritariamente más, tive que agarrar coragem para agir e pensar sozinha. Tudo o que tenho hoje deve-se a mim, e parabéns, porque me saí muito bem dentro das possibilidades. Vejo mudanças constantes, mudanças assustadoras, brutais, e uns quantos choques de realidade. A vida corre por baixo dos nossos pés, ontem acordámos para o último dia de aulas do secundário e hoje acordamos atrasados para o trabalho. A família cresce, e as saudades também porque num abrir e fechar de olhos viajamos para um sítio melhor, à espera de uma vida melhor com aquele que esperamos que seja o amor da nossa vida.

Penso inúmeras vezes que quando os nossos pais e avós nos dizem que a vida é dura, o que me espera será uma caixinha de surpresas, mas se eles também nos dizem que a vida voa, saberão eles que somos nós os pilotos?